Bem vindo (a), se pretende aceder à totalidade dos assuntos apresentados neste fórum, deverá proceder ao simples registo de utilizador. Se já é nosso membro, basta efectuar o seu Login.

O registo e usufruto deste fórum é livre e inteiramente gratuito, porém, não deixe de consultar as regras de participação. Junte-se a nós!

Obrigado
Últimos assuntos
» Foto estranhã tirada numa casa no Fundão
Sex Nov 07, 2014 8:37 pm por Mephisto

» Imagens de Sacrificios e Rituais.
Sex Ago 15, 2014 1:59 am por J13K$#N

» Os Protocolos dos Sábios de Sião
Sex Ago 15, 2014 1:32 am por J13K$#N

» A Cura Física e a Cura Espiritual
Sex Ago 15, 2014 12:29 am por J13K$#N

» Constantine - filme
Ter Ago 05, 2014 8:15 pm por J13K$#N

» Clube da Luta (filme)
Ter Ago 05, 2014 7:58 pm por J13K$#N

» EXU NA UMBANDA
Ter Ago 05, 2014 12:01 am por J13K$#N

» Lúcifer - O Pai Da Mentira.
Dom Jul 27, 2014 2:01 am por J13K$#N

» The Matrix Revolutions - filme
Sex Jul 25, 2014 12:23 am por J13K$#N

Os membros mais ativos do mês

Visitas

Clube da Luta (filme)

 :: Lounge :: 7ª Arte

Ir em baixo

Clube da Luta (filme)

Mensagem por J13K$#N em Ter Ago 05, 2014 7:58 pm

Fight Club (br: Clube da Luta pt: Clube de Combate), é um filme norte-americano de 1999 dirigido por David Fincher. É baseado em romance homônimo de Chuck Palahniuk, publicado em 1996. O filme é protagonizado por Brad Pitt. Edward Norton e Helena Bonham Carter. Norton representa o protagonista anónimo, um "homem comum" que está descontente com o seu trabalho de classe média na sociedade americana. Ele forma um "clube de combate" com o vendedor de sabonetes Tyler Durden, representado por Brad Pitt, e se envolve com uma mulher dissoluta, Marla Singer, representada por Helena Bonham Carter.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O narrador (Edward Norton) é um empregado de uma companhia de automóveis, que sofre de insônia. O médico recusa-se a dar-lhe medicação e aconselha-o a visitar um grupo de apoio para testemunhar sofrimentos mais graves. O narrador assiste às sessões de um grupo de apoio para vítimas de cancro testicular e, fazendo-se passar por vítima de cancro, encontra uma libertação emocional que alivia a sua insónia. Ele torna-se viciado em ir a grupos de apoio e em fingir ser uma vítima, mas a presença de outro impostor, Marla Singer (Helena Bonham Carter), perturba-o, e então ele negocia com ela para evitar o encontro com os mesmos grupos.
Depois de voar para casa após uma viagem de negócios, o narrador encontra o seu apartamento destruído por uma explosão. Ele liga a Tyler Durden (Brad Pitt), um vendedor de sabão que conheceu no voo, e eles encontram-se num bar. Uma conversa sobre consumismo acaba com Tyler a convidar o narrador para ficar em sua casa e, depois disso, ele pede ao narrador para lhe dar um soco. Os dois envolvem-se numa luta fora do bar, com o narrador, posteriormente, a mudar-se para a casa em ruínas de Tyler. Eles têm outras lutas fora do bar, e estas atraem uma multidão de homens. Os combates mudam-se para a cave do bar, onde os homens formam um clube de combate.
Marla tem uma overdose de pílulas e telefona ao narrador para ele a ajudar. E ele ignora-a, mas Tyler responde à chamada e salva-a. Tyler e Marla envolvem-se sexualmente, e Tyler avisa para o narrador nunca falar com Marla sobre ele. Mais clubes da luta formam-se em todo o país, e eles tornam-se numa organização anti-materialista e anti-capitalista denominada "Project Mayhem", sob a liderança de Tyler. O narrador queixa-se a Tyler querendo estar mais envolvido na organização, mas Tyler desaparece repentinamente. Quando um membro do Project Mayhem morre, o narrador tenta encerrar o projecto, e segue pistas das viagens pelo país que Tyler fez para localizá-lo. Numa cidade, um membro do projecto cumprimenta o narrador como Tyler Durden. O narrador chama Marla do seu quarto de hotel e descobre que Marla também acha que ele é Tyler. De repente, ele vê Tyler Durden em seu quarto, e Tyler explica que eles são personalidades dissociadas dentro do mesmo corpo. Tyler controla o corpo do narrador quando o narrador está a dormir.
O narrador desmaia depois da conversa. Quando acorda, descobre pelos registos do seu telefone que Tyler fez chamadas enquanto ele estava "desmaiado". Ele descobre os planos de Tyler para apagar a dívida com a destruição de edifícios que contêm registos de empresas de cartão de crédito. O narrador tenta entrar em contacto com a polícia, mas descobre que os polícias fazem parte do projeto. Ele tenta desarmar os explosivos em um dos prédios, mas Tyler subjuga-o e muda-se para um prédio seguro para assistir à destruição. O narrador, mantido por Tyler sob a mira de uma arma, percebe que uma vez que partilha o mesmo corpo com Tyler, ele é que está na verdade a segurar a arma. Ele dispara para dentro da sua boca, acertando através do rosto, sem se matar. Tyler cai com um ferimento de saída para a parte traseira de sua cabeça, e o narrador deixa de o projetar mentalmente. Depois disso, os membros do Project Mayhem trazem a Marla que entretanto tinha sido raptada a ele, acreditando ser ele Tyler, e deixam-nos sozinhos. Os explosivos detonam, desmoronando os edifícios, e o narrador e Marla assistem à cena, de mãos dadas.
Fincher chama a Fight Club um filme sobre emancipação, tal como o filme de 1967 A primeira noite mas para pessoas nos seus 30 anos. Fincher descreveu o narrador como um "homem comum" ; a personagem é identificada no guião como "Jack", mas permanece sem nome durante o filme. Fincher delineou a história passada do narrador: "Ele tentou fazer tudo o que lhe ensinaram, tentou adaptar-se ao mundo tornando-se no que não é." O narrador não consegue encontrar a felicidade, por isso percorre o caminho da iluminação pelo qual ele tem de "matar" os seus pais, o seu deus e o seu professor. No início do filme, ele já tinha matado os seus pais. Com Tyler Durden, ele mata o seu deus ao fazer coisas que não era suposto fazer. Para completar o processo de amadurecimento, o narrador tem de matar o seu professor, Tyler Durden
A personagem é uma inversão da década de 1990 do arquétipo de A primeira noite: "alguém que não tem um mundo de escolhas à sua frente, que não tem nenhuma escolha possível, literalmente não imagina nenhuma maneira de mudar a sua vida". Eles está confuso e enraivecido, por isso responde ao seu ambiente criando Tyler Durden, Übermensch(Além do homem), Nietzscheniano, na sua mente. Enquanto que Tyler é a pessoa que o narrador gostaria de ser, ele não tem empatia e não ajuda o narrador a enfrentar decisões na sua vida que "sejam complicadas ou que tenham implicações morais e éticas". Fincher explicou que "[Tyler] pode lidar com os conceitos das nossas vidas num modo idealista, mas não tem nada a ver com os compromissos da vida real tal como o homem moderno os conhece. O que se traduz em: Você não é necessário para grande parte das coisas que se passam. Está construído, só precisa de funcionar agora." Enquanto que o estúdio estava preocupado que Clube de combate fosse "sinistro e sedicioso", Fincher procurou tornar o filme "divertido e sedicioso" incorporando humor para temperar o elemento sinistro.
Uhls descreveu o filme como uma "comédia romântica", explicando, "Tem a ver com as atitudes das personagens para com uma relação saudável, que consiste em muito comportamento que parece pouco saudável e brusco um com o outro, mas de facto funciona com eles-porque ambas as personagens estão no limite psicologicamente." O narrador procura intimidade, mas evita Marla Singer, vendo demasiado dele nela. Enquanto que Marla é sedutora para o narrador, ele prefere abraçar a novidade e excitamento que advém da sua amizade com Tyler Durdan. O narrador está confortável por estar pessoalmente ligado a Tyler Durden, mas fica ciumento quando Tyler se torna sexualmente envolvido com Marla. Quando o narrador discute com Tyler acerca da sua amizade, Tyler diz-lhe que serem amigos é secundário à perseguição da filosofia que estavam a explorar. Tyler também sugere fazer algo em relação a Marla, implicando que ela é um risco a ser removido. Quando Tyler diz isto, o narrador percebe que os seus desejos deviam ter estado focados em Marla e começa a divergir do caminho de Tyler.
"Decidimos bem cedo que eu começaria a passar fome à medida que o filme corria, enquanto que [o Brad Pitt] levantaria [pesos] e iria para salões de bronzeamento; ele tornaria-se cada vez mais idealizado enquanto eu me desmoronaria."
Edward Norton
O narrador não-confiável não se apercebe imediatamente que Tyler Durden originou-se nele mesmo e que é projectado mentalmente. Ele também promove por erroneamente o clube de combate como uma forma de se sentir poderoso, apesar da condição física do narrador piorar enquanto a aparência física de Tyler Durdan melhora. Enquanto que Tyler deseja "experiências reais" de lutar a sério como o narrador a princípio, ele manifesta uma atitude nihilista de rejeitar e destruir instituições e sistema de valores. A sua natureza impulsiva, representando o id, transmite uma atitude que é sedutora e liberadora para o narrador e para os membros do Project Mayhem. As iniciativas e métodos de Tyler tornam-se desumanizantes; ele manda nos membros do Project Mayhem com um megafone semelhante a um director de campo de reedcação chinês. O narrador distancia-se de Tyler e, no fim, chega a uma posição de compromisso entre os seu dois "eu".
Edward Norton disse, "Sinto que Fight Club na verdade, em certa forma... sondou o desespero e parálise que as pessoas sentiam em face a terem herdado este sistema de valores da publicidade Brad Pitt disse, "Fight Club é uma metáfora para a necessidade de abater as muralhas que colocamos à nossa volta e simplesmente arriscar, para que pela primeira vez possamos experimentar dor. Fight Club também tem paralelo no filme de 1955 Fúria de viver; ambos lidam com as frustrações de pessoas que vivem no sistema. As personagens, tendo passado por uma emasculação social, são reduzidos a "uma geração de espectadores". A cultura da publicidade define os "sinais exteriores de felicidade" da sociedade, causando uma busca desnecessária por bens materiais que substituam a procura mais essencial pela felicidade espiritual. O filme referencia Calvin Klein, IKEA e o Volkswagen New Beetle. Norton disse do Beetle, "Nós destruímo-lo... porque parecia um exemplo clássico de um plano de marketing da geração Baby Boomer que vendia-nos cultura" A sua personagem também anda pelo seu apartamento enquanto que efeitos visuais identificam as suas muitas possessões do IKEA. Fincher descreve a imersão do narrador, "Era apenas a ideia de viver nesta ideia fraudulenta de felicidade." Pitt explicou a dissonância, "Penso que há um mecanismo de auto-defesa que afasta a minha geração de ter qualquer conexão ou compromisso honesto e real com os nossos sentimentos verdadeiros. Estamos a torcer por equipas da bola, mas não estamos a entrar em campo para jogar. Estamos tão preocupados com falhanços e sucessos - como se estas duas coisas fossem tudo o que te irão resumir no final"
A violência dos clubes de combate serve não para promover ou glorificar o combate físico, mas para os participantes experimentarem sentimentos numa sociedade que está de outra forma dormente. As lutas representam a resistência ao impulso de estar "encapsulado" na sociedade Norton acreditava que a luta entre os homens retirava o "medo da dor" e "a necessidade de contar com significadores físicos do seu próprio valor", permitindo que eles experimentassem algo valioso. Quando as lutas evoluem para violência revolucionária, o filme aceita apenas por metade a dialética revolutionária de Tyler Durden; o narrador retira-se e rejeita as ideias de Durden Fight Club propositadamente forma uma mensagem ambígua, a interpretação da qual é deixada ao público. Fincher elaborou, "Adoro esta ideia que podemos ter fascismo sem oferecer nenhuma direcção ou solução. Não é o objectivo do fascismo dizer, 'É por aqui que devíamos ir'? Mas este filme não podia estar mais longe de oferecer qualquer tipo de solução.
avatar
J13K$#N
Zelator
Zelator

Mensagens : 26
Data de inscrição : 24/07/2014
Idade : 24
Localização : Rio Negrinho - SC

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 :: Lounge :: 7ª Arte

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum